Key Message Update

Precipitação errática no sul de Moçambique atrasa a sementeira

Novembro 2020

Novembro 2020 - Janeiro 2021

Fevereiro - Maio 2021

Fases de Insegurança Alimentar Aguda baseadas em IPC v3.0

1: Minima
2: Stress
3: Crise
4: Emergência
5: Fome
Poderia ser pior sem a assistência humanitária em vigor ou programad
A maneira de classificação que utiliza FEWS NET é compatível com a IPC. A análise compatível com a IPC segue os protocolos fundamentais da IPC mas não necessariamente reflete o consenso dos parceirosnacionais com respeito a segurança alimentar.

Fases de Insegurança Alimentar Aguda baseadas em IPC v3.0

1: Minima
2: Stress
3: Crise
4: Emergência
5: Fome
Poderia ser pior sem a assistência humanitária em vigor ou programad
A maneira de classificação que utiliza FEWS NET é compatível com a IPC. A análise compatível com a IPC segue os protocolos fundamentais da IPC mas não necessariamente reflete o consenso dos parceirosnacionais com respeito a segurança alimentar.

Fases de Insegurança Alimentar Aguda baseadas em IPC v3.0

1: Minima
2: Stress
3+: Crise ou pior
Poderia ser pior sem a assistência
humanitária em vigor ou programad
A maneira de classificação que utiliza FEWS NET é compatível com a IPC. A análise compatível com a IPC segue os protocolos fundamentais da IPC mas não necessariamente reflete o consenso dos parceirosnacionais com respeito a segurança alimentar.
Para os países de Monitoreo Remoto, FEWS NET utiliza um contorno de cor no mapa IPC para representar a classificação mais alta da IPC nas áreas de preocupação.

Fases de Insegurança Alimentar Aguda baseadas em IPC v3.0

Países com presença:
1: Minima
2: Stress
3: Crise
4: Emergência
5: Fome
Países sem presença:
1: Minima
2: Stress
3+: Crise ou pior
Poderia ser pior sem a assistência
humanitária em vigor ou programad
Para os países de Monitoreo Remoto, FEWS NET utiliza um contorno de cor no mapa IPC para representar a classificação mais alta da IPC nas áreas de preocupação.

As mensagens-chave

  • Desde abril, nas zonas semiáridas afectadas pela seca do sul e centro de Moçambique, as famílias pobres têm sido dependentes da compra de alimentos no mercado e continuam a aplicar estratégias de sobrevivência indicativas de insegurança alimentar aguda de Crise (IPC Fase 3), incluindo a redução da quantidade e frequência de refeições. As famílias mais afectadas migram para os principais corredores comerciais em busca de melhores oportunidades de trabalho ocasional, incluindo a produção e venda de carvão. Mas o aumento da concorrência e a demanda abaixo da média têm limitado a renda proveniente destas actividades e reduzido o poder de compra das famílias. Em Cabo Delgado, a situação de Crise (IPC Fase 3) continua nas zonas afectadas pelo conflito e seus arredores uma vez que as famílias pobres e deslocados internos perdem acesso às suas actividades típicas de subsistência. Muitas zonas em recuperação do Ciclone Idai de 2019 continuam a enfrentar insegurança alimentar aguda de Estresse (IPC Fase 2).

  • Em Cabo Delgado, os ataques a aldeias e infraestruturas públicas continuam a resultar na morte de civis e na fuga de pessoas para a cidade de Pemba e distritos circunvizinhos, onde os deslocados internos se instalam ou são realocadas para outros locais. Estimativas oficiais apontam para mais de 500 mil pessoas deslocadas, mas uma estimativa exacta não está disponível devido à volatilidade da situação. Com o início das chuvas sazonais, as famílias pobres nos distritos afectados por conflitos e áreas circunvizinhas provavelmente não tirarão o máximo proveito da precipitação média prevista devido à falta de garantias de segurança. As famílias nas zonas afectadas por conflitos poderão se focalizar mais em procurar zonas mais seguras. Informações anedóticas indicam que o receio do alastramento do conflito para os distritos vizinhos levou ao encerramento de bancos e outros serviços comerciais e a aumentos nos custos de transporte.

  • De acordo com o Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural (MADER), a sementeira em Moçambique não tinha começado até ao final de Outubro. Durante Outubro e início de Novembro, chuvas irregulares no interior das províncias de Gaza, Inhambane, Sofala e Manica não permitiram que as famílias começassem a semear. Até 20 de Novembro, as chuvas necessárias para o início da época agrícola ainda não tinham começado em grande parte de Moçambique e estão ligeiramente atrasadas em partes das províncias de Maputo, Manica, Sofala, Zambézia e Tete. No entanto, as previsões continuam a apontar para a ocorrência de precipitação acumulada próximo da média na estação chuvosa de 2020/2021.

  • De Setembro a Outubro de 2020, os preços do milho aumentaram sazonalmente de 5 a 15 por cento na maioria dos mercados monitorados, enquanto permaneceram relativamente estáveis em outros mercados. Nos mercados monitorados, os preços do milho em Outubro estavam na ordem de 13 a 52 por cento acima da média de cinco anos e geralmente seguindo as tendências sazonais. Os preços do milho permanecem acima da média de cinco anos devido a choques múltiplos, incluindo ciclones, cheias, secas e conflitos, que provocaram sucessivos aumentos de preços, tendo reduzido a disponibilidade de alimentos para as famílias em algumas zonas. Como tem sido típico, os preços da farinha de milho e do arroz permaneceram estáveis de Setembro a Outubro na maioria dos mercados monitorados.

About FEWS NET

A Rede de Sistemas de AlertaPrecoce de Fome é líder na provisão de alertas precoces e análises relativas à insegurança alimentar. Estabelecida em 1985 com o fim de auxiliar os responsáveis pela tomada de decisões a elaborar planos para crises humanitárias, a FEWS NET provê análises baseadas em evidências em cerca de 35 países. Entre os membros implementadores refere-se a NASA , NOAA, USDA e o USGS, assim como a Chemonics International Inc. e a Kimetrica. Leia mais sobre o nosso trabalho.

  • USAID Logo
  • USGS Logo
  • USDA Logo
  • NASA Logo
  • NOAA Logo
  • Kilometra Logo
  • Chemonics Logo