Moçambique

País com presença
Julho 2020

IPC 2.0 Acute Food Insecurity Phase

1: Minimal
2: Stressed
3: Crisis
4: Emergency
5: Famine
Would likely be at least one phase worse without current or programmed humanitarian assistance
FEWS NET classification is IPC-compatible. IPC-compatible analysis follows key IPC protocols but does not necessarily reflect the consensus of national food security partners.

IPC 2.0 Acute Food Insecurity Phase

1: Minimal
2: Stressed
3+: Crisis or higher
Would likely be at least one phase worse without
current or programmed humanitarian assistance
FEWS NET classification is IPC-compatible. IPC-compatible analysis follows key IPC protocols but does not necessarily reflect the consensus of national food security partners.
FEWS NET Remote Monitoring countries use a colored outline to represent the highest IPC classification in areas of concern.

IPC 2.0 Acute Food Insecurity Phase

Presence countries:
1: Minimal
2: Stressed
3: Crisis
4: Emergency
5: Famine
Remote monitoring
countries:
1: Minimal
2: Stressed
3+: Crisis or higher
Would likely be at least one phase worse without
current or programmed humanitarian assistance
FEWS NET Remote Monitoring countries use a colored outline to represent the highest IPC classification in areas of concern.

CIF 2.0 Fase de Insegurida d Alimentaria Aguda

1: Minimo
2: Acentuada
3: Crisis
4: Emergencia
5: Hambruna
Se estima que seria al menos una fase peor sin ayuda humanitaria actual o programada
La manera de clasificación que utiliza FEWS NET es compatible con la CIF. Un análisisque es compatible con la CIF sigue los protocolos fundamentales de CIF pero nonecesariamente refleja el consenso de los socios nacionales en materia de seguridad alimentaria.

CIF 2.0 Fase de Insegurida d Alimentaria Aguda

1: Minimo
2: Acentuada
3+: Crisis o peor
Se estima que seria al menos una fase
peor sin ayuda humanitaria actual o programada
La manera de clasificación que utiliza FEWS NET es compatible con la CIF. Un análisisque es compatible con la CIF sigue los protocolos fundamentales de CIF pero nonecesariamente refleja el consenso de los socios nacionales en materia de seguridad alimentaria.
Para los países de Monitoreo Remoto, FEWS NET utiliza un contorno de color en el mapa CIF que representa la clasificación más alta de CIF en las áreas de preocupación.

CIF 2.0 Fase de Insegurida d Alimentaria Aguda

Países presenciales:
1: Minimo
2: Acentuada
3: Crisis
4: Emergencia
5: Hambruna
Países de monitoreo remoto:
1: Minimo
2: Acentuada
3+: Crisis o peor
Se estima que seria al menos una fase
peor sin ayuda humanitaria actual o programada
Para los países de Monitoreo Remoto, FEWS NET utiliza un contorno de color en el mapa CIF que representa la clasificación más alta de CIF en las áreas de preocupación.

IPC 2.0 Phase d'Insécurité Alimentaire Aiguë

1: Minimale
2: Stress
3: Crise
4: Urgence
5: Famine
Serait probablement pire, au moins une phase, sans l'assistance humanitaire en cours ou programmée
La manière de classification que FEWS NET utilise est compatible avec l’IPC. Une analyse qui est compatible avec l’IPC suit les principaux protocoles de l’IPC mais ne reflète pas nécessairement le consensus des partenaires nationaux en matière de sécurité alimentaire.

IPC 2.0 Phase d'Insécurité Alimentaire Aiguë

1: Minimale
2: Stress
3+: Crise ou pire
Serait probablement pire, au moins une phase, sans
l'assistance humanitaire en cours ou programmée
La manière de classification que FEWS NET utilise est compatible avec l’IPC. Une analyse qui est compatible avec l’IPC suit les principaux protocoles de l’IPC mais ne reflète pas nécessairement le consensus des partenaires nationaux en matière de sécurité alimentaire.
Pour les pays suivis à distance par FEWS NET, un contour coloré est utilisé pour représenter la classification de l’IPC la plus élevée dans les zones de préoccupation.

IPC 2.0 Phase d'Insécurité Alimentaire Aiguë

Pays de présence:
1: Minimale
2: Stress
3: Crise
4: Urgence
5: Famine
Pays suivis à distance:
1: Minimale
2: Stress
3+: Crise ou pire
Serait probablement pire, au moins une phase, sans
l'assistance humanitaire en cours ou programmée
Pour les pays suivis à distance par FEWS NET, un contour coloré est utilisé pour représenter la classification de l’IPC la plus élevée dans les zones de préoccupation.

CIF 2.0 Fase de Insegurança Alimentar Aguda Baseado

1: Minima
2: Stress
3: Crise
4: Emergência
5: Fome
Poderia ser pior sem a assistência humanitária em vigor ou programad
A maneira de classificação que utiliza FEWS NET é compatível com a CIF. A análise compatível com a CIF segue os protocolos fundamentais da CIF mas não necessariamente reflete o consenso dos parceirosnacionais com respeito a segurança alimentar.

CIF 2.0 Fase de Insegurança Alimentar Aguda Baseado

1: Minima
2: Stress
3+: Crise ou pior
Poderia ser pior sem a assistência
humanitária em vigor ou programad
A maneira de classificação que utiliza FEWS NET é compatível com a CIF. A análise compatível com a CIF segue os protocolos fundamentais da CIF mas não necessariamente reflete o consenso dos parceirosnacionais com respeito a segurança alimentar.
Para os países de Monitoreo Remoto, FEWS NET utiliza um contorno de cor no mapa CIF para representar a classificação mais alta da CIF nas áreas de preocupação.

CIF 2.0 Fase de Insegurança Alimentar Aguda Baseado

Países com presença:
1: Minima
2: Stress
3: Crise
4: Emergência
5: Fome
Países sem presença:
1: Minima
2: Stress
3+: Crise ou pior
Poderia ser pior sem a assistência
humanitária em vigor ou programad
Para os países de Monitoreo Remoto, FEWS NET utiliza um contorno de cor no mapa CIF para representar a classificação mais alta da CIF nas áreas de preocupação.

Julho - Setembro 2020

(IPC Phase 1) while southern Tete is Stressed. Sofala is mostly Stressed (IPC Phase 2). Southern Mozambique is mostly in Crisis (IPC Phase 3).

Outubro 2020 - Janeiro 2021

Current food security outcomes in June 2020. Stressed (IPC Phase 2) and Crisis (IPC Phase 3)  in Cabo Delgado in the north, Minimal (IPC Phase 1) in Niassa, Nampula, and Zambezia. Northern Tete are Minimal (IPC Phase 1) while southern Tete is in Crisis (IPC Phase 3). Sofala is mostly Stressed (IPC Phase 2). Southern Mozambique is mostly in Crisis (IPC Phase 3).

Fases de Insegurança Alimentar Aguda baseadas em IPC v3.0

1: Minima
2: Stress
3: Crise
4: Emergência
5: Fome
Poderia ser pior sem a assistência humanitária em vigor ou programad
A maneira de classificação que utiliza FEWS NET é compatível com a IPC. A análise compatível com a IPC segue os protocolos fundamentais da IPC mas não necessariamente reflete o consenso dos parceirosnacionais com respeito a segurança alimentar.
As mensagens-chave
  • A produção da segunda época no sul e centro de Moçambique, que é principalmente constituída por hortícolas, está progredindo bem nas zonas baixas com níveis adequados de humidade residual nos solos. No entanto, a colheita da segunda época poderá estar abaixo da média devido à humidade residual abaixo da média como resultado da precipitação abaixo da média e cessação precoce das chuvas nas regiões sul e centro na época 2019/20. Neste momento, estão disponíveis hortícolas da segunda época para consumo e venda nos mercados locais, o que tem ajudado a estabilizar a segurança alimentar; no entanto, prevalece a insegurança alimentar aguda de “Estresse” (IPC Fase 2) e de Crise (IPC Fase 3).

  • Em Junho, o Programa Mundial de Alimentação (PMA) prestou assistência alimentar humanitária a aproximadamente 193.500 pessoas nas províncias de Cabo Delgado, Nampula, Sofala e Manica. Entre esses beneficiários, o tamanho da ração foi de aproximadamente 80 por cento para os deslocados internos localizados principalmente em Cabo Delgado. Todos os outros beneficiários receberam aproximadamente 60 por cento de suas necessidades alimentares por meio de assistência humanitária. Estima-se que a assistência em curso esteja a melhorar a segurança alimentar dos beneficiários, no entanto, os níveis de insegurança alimentar aguda, em particular em Cabo Delgado e sul de Moçambique, poderão exceder a distribuição da assistência.

  • A Direcção Nacional de Sanidade Agro-Pecuária e Biossegurança (DNSAB) emitiu um alerta para um possível surto do gafanhoto vermelho e gafanhoto migrador africano junto ao distrito de Mecanhelas, na província de Niassa, perto da região fronteiriça do lago Chirua, entre Moçambique e Malawi. Actualmente, nuvens do gafanhoto migrador africano localizam-se em Botswana, mas provavelmente estão se dispersando para outros países da região, com Moçambique em risco de invasão. A DNSAB comunicou que todas a direcções provinciais de agricultura devem estar em alerta máxima e devem reportar quaisquer avistamentos à DNSAB para que medidas apropriadas de controle possam ser tomadas. Embora a época da colheita do verão nas regiões do norte tenha sido concluída, os insectos poderão constituir uma ameaça para quaisquer culturas do inverno ou para as pastagens.

  • Até 30 de Julho de 2020, Moçambique tinha 1.808 casos confirmados de COVID-19 com uma taxa de mortalidade de 0,7 porcento. Embora as medidas de Nível 3 do Estado de Emergência tenham terminado a 29 de Julho depois de o Estado de Emergência ter sido prorrogado três vezes conforme previsto na lei, o governo apelou a todos os cidadãos a continuarem a observar todas as medidas de Nível 3 até que seja feito anúncio pelo governo de novas medidas. A reabertura gradual das escolas por níveis escolares ocorrerá depois de as escolas cumprirem rigorosamente com todas as medidas de prevenção, incluindo a disponibilidade de água canalizada, sabão ou desinfetantes, e formar turmas com o máximo de 20 alunos cada. Depois de quatro meses, as medidas do Nível 3 do Estado de Emergência continuam a afectar negativamente as oportunidades de geração de renda, as actividades de subsistência e o acesso aos alimentos para muitas famílias pobres, principalmente nas zonas urbanas e peri-urbanas. A maioria perdeu o acesso a renda e estão em situação de “Estresse” (IPC Fase 2), com as famílias mais afectadas em situação de Crise (IPC Fase 3). 

  • Em Junho, os preços do milho apresentaram tendências variadas em relação a Maio, com os preços deste cereal a aumentar entre 15 a 37 por cento em Chimoio, Gorongosa e Mocuba na região centro, mas diminuindo em Pemba e Chókwe na ordem de 40 por cento e 16 por cento, respectivamente. Os preços do milho permaneceram estáveis em relação a Maio em Maputo e Tete, mas ainda estão na ordem de 10 a 45 por cento acima da média de cinco anos. As mudanças nos preços do milho estão relacionadas principalmente pelas oscilações nos níveis de abastecimento em mercados locais.

     

Mercados e Comércio

Monitoria dos Preços
Boletins de Preços
Boletim de Comércio Transfronteiriço

Market Fundamentals Reports

Supply and Market Outlook

Formas de vida

Mapa das zonas de formas de vida
Calendário de monitoria sazonal

About FEWS NET

A Rede de Sistemas de AlertaPrecoce de Fome é líder na provisão de alertas precoces e análises relativas à insegurança alimentar. Estabelecida em 1985 com o fim de auxiliar os responsáveis pela tomada de decisões a elaborar planos para crises humanitárias, a FEWS NET provê análises baseadas em evidências em cerca de 35 países. Entre os membros implementadores refere-se a NASA , NOAA, USDA e o USGS, assim como a Chemonics International Inc. e a Kimetrica. Leia mais sobre o nosso trabalho.

  • USAID Logo
  • USGS Logo
  • USDA Logo
  • NASA Logo
  • NOAA Logo
  • Kilometra Logo
  • Chemonics Logo