Moçambique

País com presença
Janeiro 2020

IPC v3.0 Acute Food Insecurity Phase

1: Minimal
2: Stressed
3: Crisis
4: Emergency
5: Famine
Would likely be at least one phase worse without current or programmed humanitarian assistance
FEWS NET classification is IPC-compatible. IPC-compatible analysis follows key IPC protocols but does not necessarily reflect the consensus of national food security partners.

IPC v3.0 Acute Food Insecurity Phase

1: Minimal
2: Stressed
3+: Crisis or higher
Would likely be at least one phase worse without
current or programmed humanitarian assistance
FEWS NET classification is IPC-compatible. IPC-compatible analysis follows key IPC protocols but does not necessarily reflect the consensus of national food security partners.
FEWS NET Remote Monitoring countries use a colored outline to represent the highest IPC classification in areas of concern.

IPC v3.0 Acute Food Insecurity Phase

Presence countries:
1: Minimal
2: Stressed
3: Crisis
4: Emergency
5: Famine
Remote monitoring
countries:
1: Minimal
2: Stressed
3+: Crisis or higher
Would likely be at least one phase worse without
current or programmed humanitarian assistance
FEWS NET Remote Monitoring countries use a colored outline to represent the highest IPC classification in areas of concern.

CIF v3.0 Fase de Insegurida d Alimentaria Aguda

1: Minimo
2: Acentuada
3: Crisis
4: Emergencia
5: Hambruna
Se estima que seria al menos una fase peor sin ayuda humanitaria actual o programada
La manera de clasificación que utiliza FEWS NET es compatible con la CIF. Un análisisque es compatible con la CIF sigue los protocolos fundamentales de CIF pero nonecesariamente refleja el consenso de los socios nacionales en materia de seguridad alimentaria.

CIF v3.0 Fase de Insegurida d Alimentaria Aguda

1: Minimo
2: Acentuada
3+: Crisis o peor
Se estima que seria al menos una fase
peor sin ayuda humanitaria actual o programada
La manera de clasificación que utiliza FEWS NET es compatible con la CIF. Un análisisque es compatible con la CIF sigue los protocolos fundamentales de CIF pero nonecesariamente refleja el consenso de los socios nacionales en materia de seguridad alimentaria.
Para los países de Monitoreo Remoto, FEWS NET utiliza un contorno de color en el mapa CIF que representa la clasificación más alta de CIF en las áreas de preocupación.

CIF v3.0 Fase de Insegurida d Alimentaria Aguda

Países presenciales:
1: Minimo
2: Acentuada
3: Crisis
4: Emergencia
5: Hambruna
Países de monitoreo remoto:
1: Minimo
2: Acentuada
3+: Crisis o peor
Se estima que seria al menos una fase
peor sin ayuda humanitaria actual o programada
Para los países de Monitoreo Remoto, FEWS NET utiliza un contorno de color en el mapa CIF que representa la clasificación más alta de CIF en las áreas de preocupación.

IPC v3.0 Phase d'Insécurité Alimentaire Aiguë

1: Minimale
2: Stress
3: Crise
4: Urgence
5: Famine
Serait probablement pire, au moins une phase, sans l'assistance humanitaire en cours ou programmée
La manière de classification que FEWS NET utilise est compatible avec l’IPC. Une analyse qui est compatible avec l’IPC suit les principaux protocoles de l’IPC mais ne reflète pas nécessairement le consensus des partenaires nationaux en matière de sécurité alimentaire.

IPC v3.0 Phase d'Insécurité Alimentaire Aiguë

1: Minimale
2: Stress
3+: Crise ou pire
Serait probablement pire, au moins une phase, sans
l'assistance humanitaire en cours ou programmée
La manière de classification que FEWS NET utilise est compatible avec l’IPC. Une analyse qui est compatible avec l’IPC suit les principaux protocoles de l’IPC mais ne reflète pas nécessairement le consensus des partenaires nationaux en matière de sécurité alimentaire.
Pour les pays suivis à distance par FEWS NET, un contour coloré est utilisé pour représenter la classification de l’IPC la plus élevée dans les zones de préoccupation.

IPC v3.0 Phase d'Insécurité Alimentaire Aiguë

Pays de présence:
1: Minimale
2: Stress
3: Crise
4: Urgence
5: Famine
Pays suivis à distance:
1: Minimale
2: Stress
3+: Crise ou pire
Serait probablement pire, au moins une phase, sans
l'assistance humanitaire en cours ou programmée
Pour les pays suivis à distance par FEWS NET, un contour coloré est utilisé pour représenter la classification de l’IPC la plus élevée dans les zones de préoccupation.

Fases de Insegurança Alimentar Aguda baseadas em IPC v3.0

1: Minima
2: Stress
3: Crise
4: Emergência
5: Fome
Poderia ser pior sem a assistência humanitária em vigor ou programad
A maneira de classificação que utiliza FEWS NET é compatível com a IPC. A análise compatível com a IPC segue os protocolos fundamentais da IPC mas não necessariamente reflete o consenso dos parceirosnacionais com respeito a segurança alimentar.

Fases de Insegurança Alimentar Aguda baseadas em IPC v3.0

1: Minima
2: Stress
3+: Crise ou pior
Poderia ser pior sem a assistência
humanitária em vigor ou programad
A maneira de classificação que utiliza FEWS NET é compatível com a IPC. A análise compatível com a IPC segue os protocolos fundamentais da IPC mas não necessariamente reflete o consenso dos parceirosnacionais com respeito a segurança alimentar.
Para os países de Monitoreo Remoto, FEWS NET utiliza um contorno de cor no mapa IPC para representar a classificação mais alta da IPC nas áreas de preocupação.

Fases de Insegurança Alimentar Aguda baseadas em IPC v3.0

Países com presença:
1: Minima
2: Stress
3: Crise
4: Emergência
5: Fome
Países sem presença:
1: Minima
2: Stress
3+: Crise ou pior
Poderia ser pior sem a assistência
humanitária em vigor ou programad
Para os países de Monitoreo Remoto, FEWS NET utiliza um contorno de cor no mapa IPC para representar a classificação mais alta da IPC nas áreas de preocupação.

Janeiro 2020

Most of the southern and central regions are in Stressed (IPC Phase 2) or Stressed! (IPC Phase 2!). Northern areas of Cabo Delgado and Nampula are in Stressed with some areas in Cabo Delgado in Stressed! (IPC Phase 2!). Nangade and Mocimboa de Praia in Cabo Delgado and Moatize in Tete are facing Crisis (IPC Phase 3).

Fevereiro - Maio 2020

Most of the southern and central regions are in Stressed (IPC Phase 2) or Stressed! (IPC Phase 2!). Northern areas of Cabo Delgado and Nampula are in Stressed with some areas in Cabo Delgado in Stressed! (IPC Phase 2!). Nangade and Mocimboa de Praia in Cabo Delgado and Moatize in Tete are facing Crisis (IPC Phase 3).

Fases de Insegurança Alimentar Aguda baseadas em IPC v3.0

1: Minima
2: Stress
3: Crise
4: Emergência
5: Fome
Poderia ser pior sem a assistência humanitária em vigor ou programad
A maneira de classificação que utiliza FEWS NET é compatível com a IPC. A análise compatível com a IPC segue os protocolos fundamentais da IPC mas não necessariamente reflete o consenso dos parceirosnacionais com respeito a segurança alimentar.
As mensagens-chave
  • Insegurança alimentar aguda de “Estresse!” (IPC Fase 2!), persiste na maioria das áreas da zona sul e centro, pois a assistência humanitária em andamento está impedindo resultados piores. a situação de Crise (IPC Fase 3) persiste em partes da província de Tete, devido aos baixos níveis de assistência alimentar e nas áreas afectadas por conflitos em Cabo Delgado. Prevê-se que esta situação persista até o fim da época de escassez em Março.

  • Como a maioria das famílias pobres irá começar a ter acesso a alimentos da colheita principal em Abril, a situação melhorará para a fase Mínima (IPC Fase 1) ou de “Estresse” (IPC Fase 2), em grande parte do país. No entanto, espera-se que a situação de Crise (IPC Fase 3) persista em partes afectadas por conflitos em Cabo Delgado, onde as atividades agrícolas foram interrompidas e a produção deve ficar abaixo da média. No sul de Moçambique, os resultados da Crise (Fase 3 do IPC) surgirão em Abril, quando a assistência humanitária planificada terminar e as famílias enfrentarão uma terceira época consecutiva de fraca produção.

  • Em algumas zonas afectadas pelos ciclones Kenneth e Idai no ano passado o processo de recuperação pode ser mais lento do que o esperado devido às condições climatéricas severas, incluindo fortes chuvas e inundações associadas, relâmpagos, granizos e ventos fortes. Isto pode resultar em efeitos prolongados da época de escassez nestas zonas até que consigam colher da sementeira pós-colheita mais tarde do que o habitual. Até 28 de Janeiro, perto de 68 mil pessoas foram afectadas, 45 pessoas perderam a vida e várias infraestruturas foram destruídas, incluindo mais de 3 mil casas, e danos a pontes, escolas, centros de saúde e rede elétrica. As cheias também inundaram culturas, particularmente nas zonas baixas, o que pode exigir uma sementeira após a recessão das águas para a segunda época.

  • Em contraste, o sul de Moçambique e partes sul das províncias de Tete, Manica e Sofala enfrentam uma seca exacerbada com temperaturas atipicamente elevadas. Chuvas insuficientes e irregulares resultaram em várias re-sementeiras pelas famílias devido à sucessiva perda de culturas. As últimas culturas semeadas ainda estão entre as fases de germinação e emergência e dificilmente atingirão a maturidade, mesmo com a melhoria das chuvas. Prevê-se que a produção esteja muito abaixo da média em partes do sul, com algumas zonas que podem registar uma perda total da produção. Para a região sul, esta é a terceira época consecutiva de fraca produção.

  • As famílias pobres dependem fortemente de compras de alimentos no mercado, no entanto os preços atipicamente elevados do milho têm vindo a reduzir o poder de compra das famílias. Os preços do milho aumentaram sazonalmente na ordem de 5 a 30 por cento de Novembro a Dezembro; no entanto, os preços, no geral, permanecem muito acima da média devido à oferta do mercado abaixo da média. Os preços do milho estão aproximadamente 65 a 120 porcento acima dos respectivos níveis de 2018 e 40 a 95 porcento acima da média de cinco anos.

Mercados e Comércio

Monitoria dos Preços
Boletins de Preços
Boletim de Comércio Transfronteiriço

Market Fundamentals Reports

Supply and Market Outlook

Formas de vida

Mapa das zonas de formas de vida
Calendário de monitoria sazonal

About FEWS NET

A Rede de Sistemas de AlertaPrecoce de Fome é líder na provisão de alertas precoces e análises relativas à insegurança alimentar. Estabelecida em 1985 com o fim de auxiliar os responsáveis pela tomada de decisões a elaborar planos para crises humanitárias, a FEWS NET provê análises baseadas em evidências em cerca de 35 países. Entre os membros implementadores refere-se a NASA , NOAA, USDA e o USGS, assim como a Chemonics International Inc. e a Kimetrica. Leia mais sobre o nosso trabalho.

  • USAID Logo
  • USGS Logo
  • USDA Logo
  • NASA Logo
  • NOAA Logo
  • Kilometra Logo
  • Chemonics Logo